quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

COMUNIDADE SE ORGANIZA E COBRA SOLUÇÕES DO EXECUTIVO

Vereadora Iara em visita ao Bairro Vista Alegre.

 
RELATO DOS MORADORES

A Vereadora Iara Castiel se reuniu, nesta quarta-feira, com moradores do Bairro Vista Alegre para tratar de um antigo problema do local.

Segundo o relato dos participantes, há vários anos a população sofre com as chuvas que inundam o bueiro do final da Rua Tuiuti Leandro Guerra. Afirmaram que existe um projeto para dar continuidade à rua, levando-a até o bairro Missões, o que facilitaria muito a mobilidade urbana.


UMA HISTÓRIA DE MUITOS ANOS

No início de 2014 os moradores procuraram alguns vereadores, inclusive a vereadora Iara, que acionaram a Administração Municipal. A Prefeitura chegou a esboçar o início das obras de expansão da rua e conclusão do bueiro, mas até hoje pouco foi feito. O Prefeito assinou o compromisso, conforme documento abaixo, em realizar a obra até o primeiro semestre de 2014.  Um ano já se passou e tudo continua no mesmo.

Assim, há necessidade de ampliação da rede de esgoto para dar vazão à água das chuvas e conclusão da Rua Tuiuti Leandro Guerra. 




Hoje, crianças e moradores precisam atravessar um valo de esgoto, sobre uma pequena passarela feita pelos próprios moradores, para irem até a Escola Manuel Abreu, à Creche do Bairro Missões ou ao ESF da vila e mesmo para chegarem até a parda de ônibus.

As crianças, idosos e gestantes pela não continuidade da rua, ainda tem de atravessarem um terreno de aproximadamente 200 metros em meio a um matagal, sujeira, resíduos de esgoto que expõe os transeuntes a riscos, a doenças e a animais peçonhentos, comprometendo à saúde pública. Há relatos de moradores que já encontraram e mataram cobras e outros animais enquanto faziam a travessia do local. Isso tudo sem contar que em dias de muita chuva o bueiro alaga não dando vencimento a forte vazão da água e a passarela, improvisada, fica debaixo d’àgua e os moradores não têm como atravessar o local.
 
VEREADORA E COMUNIDADE JUNTOS EM BUSCA DA SOLUÇÃO
No encontro outros problemas ainda foram relatados pela população. A vereadora se comprometeu em marcar uma reunião com o Prefeito e acompanhar uma representação dos moradores. Iara ainda parabenizou a comunidade pela organização e empenho em fiscalizar e cobrar do Executivo ações concretas para solucionar o problema.
“Sabemos que em nossa cidade, existe uma inversão de prioridades! Apenas com a organização e pressão da sociedade, sobre a Prefeitura, é que poderemos alcançar melhorias para a saúde e qualidade de vida da população mais humilde, que está sempre fora do foco das ações desta Administração Municipal.” Concluiu a Vereadora. 

Fotos:










terça-feira, 27 de janeiro de 2015

GOV. FEDERAL REPASSA RECURSOS PARA CONSTRUÇÃO DE QUADRA DE ESPORTES

O Governo Federal entende que o esporte é de fundamental importância para uma nação desenvolvida, uma vez que provoca melhorias em diversos aspectos da sociedade, resultando assim numa promoção da qualidade de vida e longevidade saudável.

Santiago recebeu neste mês mais uma parcela dos recursos, no valor de R$ R$ 249.843,75, para construção de uma QUADRA ESPORTIVA na localidade do Passo da Cruz, no interior do Município. 

Abaixo segue o detalhamento do Convênio:

Número Convênio: 788573
Objeto: Construcao de Quadra de Esporte, Municipio de Santiago/RS
Órgão Superior: MINISTERIO DO ESPORTE
Convenente: SANTIAGO PREFEITURA
Valor Total: R$ 249.843,75
Data da Última Liberação: 15/01/2015
Valor da Última Liberação: R$ 124.922,00

#MandatoCidadão

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

VEREADORA RECEBE DENÚNCIAS E COBRA PROVIDÊNCIAS!


Durante este mês de janeiro, mesmo com a Câmara de Vereadores em recesso legislativo, o gabinete da Vereadora Iara Castiel permaneceu ativo e vários foram os pleitos e demandas encaminhadas pela parlamentar.
 
Na sexta-feira, dia 23, a Vereadora, acompanhada de sua assessoria, deslocou-se até o bairro Vista Alegre para constatar uma denúncia de vários moradores daquele bairro. Trata-se, novamente, de descaso do Poder Público Municipal para com a população. Desta vez, a denúncia diz respeito à colocação e não recolhimento de entulhos e do lixo em via pública e no Cemitério Municipal, bem como, a falta de corte de gramas, inços e arbustos.

Ao chegar no local, a Vereadora pôde constatar a precariedade da situação. A Administração Municipal amontoa e deixa de recolher no Cemitério e também no fim da Rua Homero Finamor, pedaços de caixões fúnebres, coroas, flores secas, argamassa, pedaços de roupas e lixo em geral.

Não fosse o bastante, há, no local, um verdadeiro matagal onde deveria ficar o passeio público. Observam-se pilhas de lixo formadas com restos de aterro e alvenaria, sacos de sujeira, até um colchão velho que, junto com detritos do Cemitério, amontoam-se em plena rua a poucos metros de residências.

Mais uma vez a Prefeitura Municipal dá as costas para a comunidade santiaguense e os mais humildes. “Embeleza”, maquiando o centro da cidade e não faz o mínimo pelos bairros. Expõe os cidadãos a doenças e perigos, tornando as vias e os espaços públicos nocivos à saúde da população.

É preciso que a comunidade se organize, investigue e denuncie.  Pois, a sociedade é o melhor agente fiscalizador. Assim pode ser que o Chefe do Poder Executivo, nosso Prefeito Municipal e sua administração, se deem conta que não vivemos na “cidade das maravilhas”, que eles imaginam e propagam nas rádios!

Abaixo seguem fotos do local e  PEDIDO de PROVIDÊNCIA encaminhado pela Vereadora Iara:






#MandatoCidadão

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

EXECUTIVO AFIRMA QUE NÃO PAGARÁ OS AGENTES DE SAÚDE

               

Na manhã desta quarta-feira, 7 a vereadora Iara Castiel se reuniu com o Vice-prefeito Municipal Antônio C. Gomes, o chefe de gabinete, Felipe Pinto, a secretária de saúde Mara e representantes dos agentes de saúde, bem como do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais.
 
Na reunião, a parlamentar e os representantes dos trabalhadores afirmaram que o Governo Federal repassa às Prefeituras Municipais, 95% do salário mensal, sendo, no ano, doze parcelas, mais uma. Esta parcela extra se refere à bonificação que os agentes, como os demais servidores dos ESF’s têm direito. Para a administração municipal cabe, apenas, 5% do valor do salário, mais os encargos trabalhistas, o que significa que os valores correspondentes à insalubridade, férias, terço de férias e décimo terceiro salário são de responsabilidade do Poder Público Municipal, o contratante do serviço. Assim, entende-se que a parcela extra, repassada pelo Governo Federal, e que já está na conta da Prefeitura, destina-se aos agentes como  bonificação pelo trabalho que realizam.

 A Prefeitura, entretanto, foi enfática ao afirmar que entende não ser devido o valor e não efetuará o repasse da parcela extra aos trabalhadores da saúde. O secretário chefe de gabinete, Felipe Pinto, sugeriu que a categoria busque, judicialmente, os direitos que entendem ser credores.

A vereadora Iara Castiel, sinaliza que, assim como outras, a Prefeitura de Santiago deve investir nos profissionais, porque são eles os grandes operadores da saúde preventiva, estão lá na ponta e em contato direto com a população. “Estimular e valorizar estes trabalhadores e trabalhadoras deveria ser prioridade para o Município, trata-se de um investimento em saúde pública e preventiva” afirma a vereadora.

Abaixo segue o parecer do TCE-PR (julho/2014) sobre o assunto:

“A DCM (Diretoria de Contas Municipais) do TCE (Tribunal de Contas do Estado) do Paraná emitiu um parecer técnico a um requerimento da Câmara de Vereadores de Cascavel sobre a falta pagamento do 14º salário aos Agentes Comunitários de Saúde praticada pela Prefeitura de Cascavel. O entendimento da DCM é de que os agentes de saúde têm direito a receber o adicional repassado pelo Ministério da Saúde em dinheiro e não em equipamentos, como é praticado. (...)
Segundo o despacho da DCM, o adicional para o 14º salário é uma forma de concretizar a garantia de valorização dos ACS. “É possível o pagamento de incentivo adicional aos agentes comunitários de saúde [...] e tal objetivo passa necessariamente pela valorização desses profissionais, além disso, o Município tem autonomia para criar cargos ou empregos públicos e demais carências inerentes à atividade, de acordo com as especificidades locais”.



#MandatoCidadão